segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Pensando como Napoleão

Certa feita, Napoleão Bonaparte disse que “a melhor maneira de manter a sua palavra é nunca dá-la”. Um aforismo daqueles, próprio de quem se via no inteiro controle da situação.

Um aforismo, na perfeita definição de Friedrich Von Schlegel, corresponde “a uma maior quantidade de pensamento no menor espaço”. Adoro aforismos. Conseguem concentrar toda genialidade, visão e, às vezes, a soberba e o mau humor do seu autor (Para quem gostou do tema, fica a indicação do excelente texto de Jerônimo Teixeira, na revista “Veja” de 25 de agosto de 2010, cujo título é “A sabedoria em 30 palavras ou menos”).

As grandes batalhas do mundo sempre tiveram por trás grandes homens. Gênios do bem, gênios do mal. Homens com um expressivo poder de comando, que, antes de exteriorizado a seus comandados, revelava o seu alicerce – o autocontrole.

Mas antes que você clique no “X” no canto superior direito da sua tela, deixa eu divagar sobre a minha inspiração – o aforismo de Napoleão – e o que nos move nesse espaço – concursos, direito e vida (não necessariamente nessa ordem).

Concurso é guerra. Um amontoado de batalhas testando a nossa resistência e capacidade de superação. E é preciso, antes de conquistar o mundo, ser senhor de si mesmo. O que será do seu destino, diante da sequência de fases de um concurso, se qualquer mínima coisa retira seu ânimo e força de luta?

Hoje defendo a ideia de que é preciso encarar a vida de peito aberto, sem medo de julgamentos. Mas mesmo assim, há certos momentos em que se você não se proteger, ninguém o fará por você, ninguém.

Frequentemente deparo-me com colegas queixando de quem denomino “urubus de plantão”. Estes abutres, como sabido, só se alimentam de carniça, ou seja, do que para nós já não presta. Não preciso nem escrever muito para você identificá-los à sua volta. É aquele mui amigo, que só sabe perguntar se você já passou. Ou aquela tia que fala que você já está ficando velho e que “já é hora de procurar um emprego”. Ou os que o chamam de louco quando o veem jogando tudo para o alto em busca de um sonho (essa eu ouço muito).

Nessas horas é preciso agir como Napoleão. Não dê a sua palavra - exceto à você mesmo - sob pena de estar fadado ao julgamento e observação alheios. Crie uma carapaça, à prova de tudo e de todos que te tiram do foco necessário. E como quem se defende, elimine da sua pele toda a carniça que serve de prato principal para seus algozes. O pouso dessas aves abjetas será sorrateiro. Faça isso o mais breve possível. E para tanto, use e abuse de sua imaginação.

Geralmente, comentários como esses não mais me abalam. Mas quando esse tipo de julgamento chega a me incomodar, utilizo de uma série desculpas, cada uma mais fantasiosa do que a outra. Adoro ver a cara de perplexidade dos outros. Rio por dentro.

Você já fez “doutorado de direito intertemporal alemão à distância”? Não? Nem eu. Mas todos os meus clientes e ex-clientes acham que eu faço.

Logo quando parei de advogar, passei a manter uma rotina própria, atento a horários em que produzisse mais. Assim, acabava andando na contramão do mundo. Mas o chato era estar de bermuda e chinelo às três da tarde e encontrar com um cliente na padaria da esquina, num dos meus intervalos de estudo. Inevitável a pergunta:

- Ué Doutor!? Que folga é essa?

Aí eu dava corda:

- Eu parei de advogar.

Como a curiosidade era maior do que discrição do interlocutor, inevitável outra pergunta na sequência:

- Mas como?

E eu respondia:

- É, estou estudando... Estou fazendo um “doutorado de direito intertemporal alemão à distância”.

De forma impressionante o diálogo cessava por ali mesmo. E eu, às gargalhadas por dentro, comprava meu pãozinho quentinho e voltava para casa, continuando a estudar.

Daqui a algum tempo, eles terão a notícia de que o seu ex-patrono, agora, é juiz. E do alto de sua “sabedoria”, afirmarão:

- Você viu Fulana? O meu advogado foi fazer um doutorado de “não-sei-o-que-é-lá” e virou juiz! Sempre achei que ele tinha cara de juiz mesmo!

Os cães só ladram, só isso. O que precisamos é continuar a caminhada.

Governe a si mesmo e não deixe que os outros comandem o seu destino. Uma guerra é composta de várias batalhas. Umas vencemos, outras não. O importante é entrar para vencer em todas. Queira, deseje profundamente vencer. O seu sonho é tão grande quanto a vontade de superar esses pequenos obstáculos.


40 comentários:

  1. Adorei!!! :-)
    Parabéns pelo blog (mais um vez).

    *persis*

    ResponderExcluir
  2. “Doutorado de direito intertemporal alemão à distância”?!?!?!?!?!?!

    kkkkkkkkkkkk

    Ai, MOCAM, vc me mata de rir!!!
    Taí, vou adotar! Adorei!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. ADOREI!!!
    Parabéns pelo Blog!
    Abs
    Desistir Jamais (CW)

    ResponderExcluir
  4. Me fez rir demais, MOCAM.
    Uma amiga minha que passou num concurso de cartório,quando estava estudando acostumava dizer que trabalhava na justiça federal, para o povo parar com essas perguntas..
    Semana passada foi um urubu desses lá na biblioteca me dizer para eu ir advogar e não ficar o resto da vida estudando.Vc ali pensando em passar no concurso e a pessoa dizendo que vai passar o resto da vida estudando, é froids.
    Mas ainda bem que o mundo é repleto de pessoas diferentes, assim, enquanto umas tentam te jogar pra baixo, outras te elevam!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Tô rindo até agora. Passo por isso todos os dias...
    Doutorado de direito intertemporal alemão à distância kkkkkk Tb vou adotar.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pelo blog !!! Sensacional !!!

    ResponderExcluir
  7. Nossa!!! Nem eu sei falar o nome do doutorado. heheehehehehehehehehehe

    Pepo

    ResponderExcluir
  8. Ótimo texto. O pensamento e atitude têm de ser assim, como você falou. Urubu de plantão tem aos montes...
    Sucesso!
    Forte abraço,

    Viterbo

    ResponderExcluir
  9. Nossaa...
    O texto é "perfect"...
    Quanta criatividade e personalidade..
    Adorei..
    Parabéns..

    SrtªOliver

    ResponderExcluir
  10. Mto bom msm!E os amigos que insistem em vir na sua casa p/ conversar pq acham que vc não faz nada da vida. Ainda tem que dar um de psicologo.Comentários da Vovó 'vc viu ele ja comprou um carro e vc..." Mas cá estamos nós firmes no objetivo!
    Fran

    ResponderExcluir
  11. "Governe a si mesmo e não deixe que os outros comandem o seu destino". Essa vai para porta da minha geladeira, para eu ler todos os dias. Um abraço!
    Hera_RR (CW)

    ResponderExcluir
  12. Muito bom. PA-RA-BÉNS!!!
    Não tive tantos problemas (de ser vista como à toa, incapaz, maluca) pq logo que terminei a faculdade passei na OAB e em um concurso de nível superior (que para mim, desde o início, seria um concurso escada).
    Mas ao continuar minha caminhada, em uma bela prova para Promotor de Justiça me peguei pensando o que fulano e fulana pensariam se eu não passasse mais uma vez ou se eu me saísse muito mal. E o que eu diria aos meus familiares???
    Apesar de ser mulher, não sou muito ‘faladeira’, mas acho que pela ansiedade, até com minha manicure eu falava que naquele fds estava indo fazer prova. Na outra semana choviam perguntas: e aí, passou? Mas como assim? Ninguém passa nisso??? Menos aprovados que o número de vagas??? Isso é coisa de doido. Isso tem maracutaia...
    Aí a luz vermelha acendeu e eu prometi para mim mesma que falaria menos com os outros sobre meu caminhar nos concursos e que me importaria menos com que os outros iam pensar ou falar. Funcionou. Nas provas seguintes nem pensei nisso.
    Quero espalhar a notícia quanto eu passar. Aliás, nem vou precisar espalhar, pq essa se espalha sozinha. E alguns vão dizer: nossa, já? E outros: Ela é sortuda! Rs rs rs Essa é nossa vida. Bons estudos!!!
    Nana_7_MP

    ResponderExcluir
  13. Achei o texto ótimo!
    Gostaria de conseguir aplicá-lo ao meu cotidiano; juro que tento, mas os comentários de algumas pessoas ainda me atingem ... já não sofro mais como no começo, mas ainda sofro :(
    Ainda bem que eu tenho todos vocês, colegas de CW, que me ajudam a superar esses momentos difíceis ... adoro!!
    Bjss, Lianis.

    ResponderExcluir
  14. Olá, MOCAM,

    Legal o post.

    Bom, no futuro, quem sabe não rola uma postagem para uma reflexão daqueles que estão há mais de cinco anos na luta, mas sem sucesso? Há várias pessoas assim, e que se recusam em mudar sua postura ou redefinir a sua estratégia.

    ResponderExcluir
  15. MOCAM,

    muito legal esse curso "não sei de quê", acho que vou me inscrever nele também ehehe
    Parabéns pela iniciativa, seu blog está ótimo!!!

    ResponderExcluir
  16. Eu já passei por coisa parecida. Também já advoguei e parei para me dedicar aos estudos. Por um tempo foi conveniente; depois, você começa a se sentir um inútil (desculpa, mas foi assim comigo). O dinheiro acabando, a cobrança aumentado e o tempo passando. Então eu resolvi encarar um "concurso escada" e tive sucesso. Tenho a curiosidade de saber como "concurseiro" vive, pois muitos têm filhos, casa, marido/esposa e ainda encaram concursos em outros estados, fazem cursos, compram livros... Como faz???? Pede dinheiro emprestado???? Eu nunca tive essa cara de pau. Sempre vivi "no limite", pegando um processo ali, outro acolá para sobreviver. Mal tinha dinheiro para comprar absorvente. Fala sério! É rir pra não chorar! hahahaha Agora, quem nasceu em família "abastada" é outro departamento. Contem o segredo pra mim!!!

    ResponderExcluir
  17. Mas é isso mesmo. Hoje pego um processo aqui e outro acolá, só para não parar de tudo e não morrer de fome. Bom, minha mulher tb trabalha. Agora, quem tem grana e família para bancar a realização desse sonho tem é que usar mesmo dessa ajuda, sem sentir-se culpado ou inferiorizado. Cada um tem sua missão. Para estes, talvez a estrada esteja sendo mais amena agora para, no futuro, a pessoa ser mais exigida na função judicante. Ou não (falei igual ao Caetano...). Sabe-se lá a vontade de Deus para cada um de nós? Temos é que viver o presente, fazendo o nosso melhor agora, independentemente da situação em que vivemos.

    Abs,

    MOCAM

    ResponderExcluir
  18. MOCAM, admiro quem mantém a serenidade numa situação dessa (e mais ainda quem já tem maiores responsabilidades: casa, filhos, etc). Eu, infelizmente, sucumbi. hehehe
    Ainda moro com os meus pais e a minha família não é abastada, mas tem boa condição financeira. Agora, eu nunca tive coragem de pedir dinheiro a ninguém. Orgulho? Talvez... pois se me oferecessem, eu também não recusava! heheh Sabe, eu me formei num ano e perdi o meu irmão, que era concursado (área de segurança pública), no ano seguinte. Por um tempo, eu pensava assim: vou estudar e me esforçar pra quê? Posso morrer amanhã e tudo terá sido em vão... vou é descansar! Então, se a gente só pensar no presente, a coisa também não flui... Sucesso, querido!
    Desculpa o desabafo.

    ResponderExcluir
  19. Nossa!!!! super me identifiquei com o seu texto!
    Parabéns, muito legal!
    Adorei a idéia do doutorado...
    abraços...
    Fernanda Med.

    ResponderExcluir
  20. Parabéns pelo blog!!!!
    Excelente texto!!!
    Convivo diariamente com este tipo de gente, aliás, quem não passa por isso, não é mesmo?! Acho que este é o primeiro desafio de vários que virão quando formos magistrados, se agora as pessoas abutres ficam de olho para ver nossa derrota, ou ficar pentelhando, mais pra frente não mudará muita coisa não.
    O bom da vida é darmos atenção e nos dedicarmos ao que realmente importa e faz diferença para nós, são as pessoas que estão ao nosso lado, nos apoiando e acreditando em nós! Com certeza, todos temos pelo menos uma pessoa assim! Então é isso que precisamos valorizar, ao invés de nos preocuparmos com coisas (e pessoas) pequenas!
    Tudo de bom para você!
    Abç!

    ResponderExcluir
  21. Só por curiosidade...se for verdade, dê um sinal no CW (TJ/SC ou conselhos para ....):
    MOCAM significa MAÇOM?
    Tu és gente boa e tem visão do mundo...
    Aquele abraço

    ResponderExcluir
  22. E o que fazer se o "urubú" é quem nos sustenta???
    Moro com meus pais e eles estão querendo que eu volte a trabalhar, pois tenho 30 anos e não tenho carro e apê... Até parece que na minha idade eles já tinham... rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou igual vc! o que fazer? como já faz tempo o texto e o seu comentátio...encontrou a solução!!??

      Excluir
  23. Olha... infelizmente isso é mais comum do que se imagina. De onde era para vir força e inspiração, saem as maiores críticas e pressões. Só quem está vivendo a preparação para um concurso público da envergadura da magistratura, sabe o que se passa para chegar lá. Quem está de fora, pode até ter uma ideia muito próxima, mas nunca saberá o tamanho da batalha que é.

    Vale a pena tentar explicar e mostrar, de todos os meios (inclusive mostrando essa postagem, se entender necessário), que o buraco é beeem mais embaixo.

    Mas se de tudo não surtir resultado, alce voo e procure meios para garantir a realização do seu sonho. Idade pesa? Pesa, mas não será determinante se o seu sonho for verdadeiramente grande. O video da prova oral e aprovados postado aqui no blog nos ensina isso. Grisalhos aos montes entre os aprovados.

    Pode ser que trabalhando e estudando você não consiga ter o mesmo rendimento, em virtude do tempo reduzido (eu tb sei o que é isso...). Em contrapartida, o que fizer ou deixar de fazer não será da alçada de ninguém.

    Torço verdadeiramente para que você encontre um caminho para a realização de seu sonho. E que este caminho, sobretudo, seja de paz.

    Conte comigo,

    MOCAM

    ResponderExcluir
  24. SENSACIONAL!
    Essa é a situação que mais me aflige no momento.
    Bom saber que não só eu enfrento os urubus de plantão.
    Parabéns pelo blog e muito obrigado pelas palavras!

    Filipe Teixeira

    ResponderExcluir
  25. Sensacional! Está de parabéns como sempre!

    "Enquanto os cães ladram, a caravana passa". Levo sempre esse ditado popular comigo!

    Bjs

    ResponderExcluir
  26. Ainda vou escrever sobre como aprendi o significado desse ditado. Foi uma lição e tanta que meu pai me deu quando era bem novo. Volta e meia o episódio volta na minha cabeça. Quem sabe aqui no blog? Meus pais são fora de série. Sempre atentos e preocupados com a criação dos filhos.

    Abs,

    MOCAM

    ResponderExcluir
  27. Ótimo texto. Acredito que se aplique a grande maioria de nós concurseiros! No início é bem difícil ver muitos colegas de faculdade e amigos sempre de terno, trabalhando em escritórios grandes, ou por conta própria enquanto você passa o dia todo de bermuda e camiseta estudando em casa ou na antiga faculdade. Parece constrangedor responder a quem lhe pergunta como está o trabalho, que, após 5 anos em uma faculdade, um ano em uma especialização, você não trabalha, "apenas" estuda! Já superei essa fase e passo a não mais me importar com as opiniões inconvenientes. Não me justifico nem prometo prazos. Nosso dia ainda chega, com o esforço e a dedicação de sempre! Parabéns pelo blog, pela iniciativa e força a todos que estão nessa luta!

    ResponderExcluir
  28. Peço licença ao MOCAM e a todos que, neste Blog, buscam inspiração e força para enfrentar a árdua tarefa de ser um concurseiro, para lembrar os sábios versos de um grande poeta, Renato Russo:

    "Nunca deixe que lhe digam
    Que não vale a pena
    Acreditar no sonho que se tem
    Ou que seus planos
    Nunca vão dar certo
    Ou que você nunca
    Vai ser alguém...

    Tem gente que machuca os outros
    Tem gente que não sabe amar
    Mas eu sei que um dia
    A gente aprende
    Se você quiser alguém
    Em quem confiar
    Confie em si mesmo!

    Quem acredita
    Sempre alcança"

    Filipe

    ResponderExcluir
  29. Valeu Mocam, parabéns pelo texto, muito bom. Saiba que conseguiu ajudar alguém que já foi duas vezes para a última banca do MPRJ (banca de público - no MPRJ vc vai para a 2ª fase e vai passando pelas bancas, que são eliminatórias - só faz civil quem passou por penal, e só faz público quem passou por civil - depois tem a oral) e uma para a Magistratura do TJRJ (na 2ª fase vc faz todas as bancas e deve ter média em cada uma). Depois disso, dei uma desanimada. Aí, impressionante como apareceram os abutres - que quantidade! Confesso que sucumbi, fiquei pra baixo, perdi a vontade de estudar.

    Aí, um dia acessei o Correio Web e vi o endereço do seu blog. Acabei parando aqui.

    Sabe, legal saber que há muita gente na mesma situação que a nossa. Cada um com seus dramas, histórias, adversidades, mas todos portadores de um sonho.

    O seu texto me fez voltar ao mundo dos concursos. Mas confesso que agora, ao encontrar os abutres, vou dizer que parei de estudar e estou me dedicando ao estudo de inglês (ou fotografia de mulheres nuas, música barroca, sei lá... rsrsrs). Eles deixarão a carniça rápido, vc tem razão.

    Grande abraço e boa sorte pra vc. Ah, e obrigado pela iniciativa do blog. Que Deus o abençoe.

    Carlos.

    ResponderExcluir
  30. Parabéns pelo post!!! Simplesmente, espetacular!!!

    ResponderExcluir
  31. OI MOCAM, SENSACIONAL!

    Costumo dizer que ninguém atira pedras em árvore que não dá frutos!!!
    E, como já disseram: enquanto a caravana passa, os cães ladram....
    Portanto, guerreiros e companheiros de concurso:
    "VAMOS EMBORA QUE QUEM SABE FAZ A HORA E NÃO ESPERA ACONTECER",como já dizia Geraldo Vandré.
    Ele sabe o momento que a nossa hora chegará.

    Beijo no coração desses grandes vitoriosos, sinônimos de perseverança.

    ResponderExcluir
  32. Mocam, vinte pra uma da manhã, tô sem sono, então resolvi "rodar" na internet e ler algo sobre concurso... Acabei achando o seu blog. Fiquei fascinado com as dicas e os textos aqui postados. Meus sinceros parabéns. Que Deus ilumine seu caminho, cara. Sinceramente. Abraço.

    M.R.

    ResponderExcluir
  33. Oi MOCAM, acompanho seu blog há aproximadamente 1 mês, e já é a terceira vez que leio suas postagens e choro ao final...mas não é de tristeza, não.
    Me emociona saber que tantos estao lutando como eu, cada uma enfrentando uma batalha diferente, não maior ou menor que a do outro, apenas diferente. Cada um com suas dificuldades, a cada dia tentando superá-las e dar o melhor de si.
    Sempre acreditei que a vitória em concurso público é certa para quem estuda e não desiste, mas confesso, a caminhada tem sido árdua. Tenho 27 anos, dois filhos, trabalho (passei no MPF aos 21 anos), casa, marido, e todas as obrigações decorrentes disso tudo... não que pense em desistir, mas ter decidido estudar para a magistratura às vezes pesa em meus ombros.
    Talvez por isso agora esteja aqui escrevendo e chorando, sozinha, no meu cantinho de estudos, desabafando com vocês, e me consolando em saber que tantos estão guerreando como eu....
    Nessa horas, elevo meus pensamentos ao Senhor e peço força, coragem, sabedoria, e que minha temporada de estudos seja a mais breve possível, mas suficiente para me preparar para o exercício do cargo que tanto almejo...

    Esse espaço é maravilhoso! Parabéns, Mocam!! Sucesso!!

    FK

    ResponderExcluir
  34. Mocam,
    Adorei o texto. Real e sensível ao mesmo tempo, com pitada cômica e irônica ! Parabéns ! Retrata a realidade de muitos concurseiros e serve de ânimo e alento a todos.
    Obrigada pelo blog
    Renata

    ResponderExcluir
  35. Carlos, Moitinho, S/A, MR, FK, Renata e todos que passaram por essa postagem,

    Muito obrigado pelos comentários. Aos poucos vamos todos construindo nesse espaço um refúgio para nossa mente, muitas vezes cansada, mas sempre perseverante. Continuem postando comentários e visitando. A troca de informações é essencial. Contem comigo,

    MOCAM

    ResponderExcluir
  36. Excelente!

    Desde abril/10 larguei a advocacia para somente estudar. Depois de 12 anos! Não é fácil esse tipo de cobrança e encontro. Minha tática é a seguinte: falo que me aposentei. Daí perguntam: mas como? Eu: invalidez. Mas como? Eu: uns problemas na cabeça, nada grave. Pronto. A conversar pára, e não me incomodam mais. Inclusive nos próximos encontros chegam a até a me evitar. Ótimo.

    ResponderExcluir
  37. Esse post é bom de mais, desde a primeira vez que li uso para a vida.

    ResponderExcluir
  38. Hahaha, muito bom!!! Indicaram a leitura neste blog, puxa, nunca me senti tão poderosa e otimista!! Vou fazer isso quando encontrar um cliente e estiver de chinelão...kkkk!!!

    ResponderExcluir

• Vídeos, dicas de estudo, materiais gratuitos e muito mais. Grupos de estudo e muita informação sobre concursos das carreiras jurídicas. Acesse o Blog do MOCAM e cadastre-se no Fórum do MOCAM.

• Discordar é saudável. Mas comentários ofensivos não serão publicados.

• Publicidade não será permitida.

• Não serão publicados comentários contendo emails, números de telefones, endereços ou outros dados pessoais.

Veja Também no Blog do MOCAM